quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Minha culpa


Não sei o porquê exato desse negócio de culpa, mas foi o que me pareceu mais apropriado pra isto aqui. Ah não, não é um tema. Aliás, tá longe disso. Mas então, qual é a da culpa, criatura?! Antes de conseguir responder, preciso de um Momento Referências:

"A culpa tem um papel essencial no estabelecimento do comportamento social. A sensação preocupada em nossas entranhas freqüentemente serve como o ímpeto que nos leva a procurar a redenção."

"O sentimento de culpa, a severidade do superego, é o mesmo que a severidade da consciência. É a percepção que o ego tem de estar sendo vigiado dessa maneira, a avaliação da tensão entre os seus próprios esforços e as exigências do superego."

"O sentimento de culpa é um recurso de forte sustentação e manutenção das religiões descendentes do judaísmo-cristão. Essa característica não é unicamente criação do cristianismo, suas raízes estão fortemente ligadas com o legado do pensamento socrático, platônico e cristão."

Nada mal, eu acho. Eis que a culpa é inerente a psiquê humana. Além do alicerce das religiões e o caminho da redenção(!). Por um momento estou mais leve. Só vou pedir mais uma referência pra me apoiar, pode?


"É a minha companheira inseparável
Sua fidelidade é incomparável
E me perdoa por não ter razão
A minha culpa de estimação"**

Bravo! Acho que tá exatamente aí minha relação com a tal da culpa. Mesmo que não seja exatamente o tema do meu recém-nascido blog, enquanto companheira inseparável, creio que vá acabar rondando meus dizeres por aqui. E a culpa é toda minha.

*Referências: trecho 1|trecho 2|trecho 3
**Culpa de Estimação, de Cazuza e Frejat

4 comentários:

Hadija disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Mas que culpa hein?!
Vc jah ouviu em falar em Nietzsche? Ele matou a culpa, imposta pela moral judaica-cristã, além de matar Deus tbm...
Se livra disso, garota!!

Anônimo disse...

afinal...
culpa de quê?

Anna disse...

belo layout.